quinta-feira, 31 de maio de 2012

Oficina de Yoga e Alimentação


Como disse na postagem anterior vamos aos poucos trazendo informações sobre as atividades dos núcleos do IPB. Em Rio de Contas, acontecem também oficinas relacionadas com o bem estar, com a qualidade de vida, então deixo para a leitura o relato de uma destas oficinas. 

"Yoga e alimentação, esse foi o tema da oficina realizada no domingo dia 29 de abril na Morada da Luz (casa bioconstruída pelo permacultor Nagoy Sol, membro do IPB) em Rio de Contas. A proposta surgiu das instrutoras de Yoga, Jovanka da Luz e Andreza Magalhães.

A ideia foi realizar um encontro onde se poderia falar de outros assuntos que estão diretamente ligados ao Yoga, mas que durante as aulas não se tem tanto tempo. O grande desafio de quem pratica Yoga é levar a consciência adquirida durante a prática para as atividades diárias. É conseguir unir o pensar, o sentir e o agir. Mas por que é tão difícil conseguir essa integridade fora da aula de Yoga? 

Segundo a filosofia do Yoga estas três ações referem-se ao o corpo físico (agir), a mente (pensar) e ao espírito (sentir).   A constituição do Ser Humano é formada pelo espírito, que é a sua essência, a manifestação do cosmo dentro de cada um, estando ligado ao sentir e a intuição; pela mente, o veículo do espírito que o conecta ao corpo físico, é através da mente que se consegue trazer informações do cosmo para o corpo físico, estando ligada ao pensar. Por fim, o corpo físico, a morada do espírito e da mente. É através dele que se manifestam as realizações na terra e é somente por ele que se pode ter acesso à mente e ao espírito, e está ligado ao agir. O espírito, a mente e corpo físico têm características e natureza distintas, é por este motivo que facilmente perde-se a unidade entre eles.


Quando conseguimos fazer com que os pensamentos estejam na mesma direção dos sentimentos e das ações, estamos praticando Yoga. E todos os dias preparamos os alimentos, nos alimentamos, lavamos as louças e tomamos banhos, mas o quanto estamos inteiros nessas ações? O quanto o pensar, o sentir e o agir estão na mesma direção enquanto se pratica essas atividades?


Foi a partir dessa compreensão que a oficina aconteceu, fazendo com que todos, dentro do que é essa unidade do pensar, sentir e agir de cada um, percebessem a alimentação como algo sagrado. 

O ambiente da casa, planejada permaculturalmente, facilitou uma conexão com os cinco elementos da natureza que nos rodeia, percebendo a terra no reboco da casa feita sem cimento; a água no tratamento de toda a água utilizada na casa, o fogo no fogão a lenha que além de permitir o preparo do alimento em um tempo natural, aquece a água; o ar através das janelas de circulação canalizando o vento permitindo uma casa arejada com conforto térmico e o éter na junção desses elementos criando um espaço harmonioso.
Através do ambiente harmônico proporcionado por um lar planejado e do estado de consciência adquirido através do Yoga, a oficina permitiu uma vivência consciente da alimentação, desde a hora em que se escolhe o alimento (alimentos orgânicos, do local, da estação e a sua combinação na hora de preparar o cardápio), a forma de preparar (buscando um ambiente harmônico e uma qualidade dos pensamentos enquanto cozinha) chegando até a mesa onde todos celebraram o alimento, agradecendo e compartilhando com a família."
Catarina Camargo

 Essa foi uma das experiências que se iniciam em Rio de Contas e sabemos que muitas outras estão por vir. Agora é aguardar os frutos destas ações. Continuamos aqui conectados e recomendamos a visita ao Blog da Escola Umbuzeiro.

quarta-feira, 30 de maio de 2012

O blog do IPB

Olá pessoal que visita nosso blog! Este é o primeiro contato mais descontraído que temos e isso está acontecendo porque em nossas reuniões percebemos que este espaço na rede é para ser mais informal, mais interativo. Pensamos ele como nossa sala de encontro e troca, como uma cozinha aconchegante onde conversas acontecem. Caminhamos para esta realização, piano, piano, como diria uma sábia amiga.

Neste exato momento o IPB passa por uma fase de planejamento e estruturação e isso está auxiliando nestas definições sobre o blog. Temos 3 núcleos atuando com projetos e atividades relacionadas com a permacultura, qualidade de vida, sustentabilidade e outras coisinhas que aos poucos vamos mostrando, escrevendo. Não desejamos que o blog seja apenas um espaço de Outdoor, mas reafirmá-lo como ponte de troca e diálogo com o público que nos visita.

No Semiárido, o IPB agora está fortalecendo o núcleo Jacobina e conta com todos os integrantes da Escola Umbuzeiro e de ações bem planejadas, comprometidas. Na Chapada Diamantina, o IPB conta com uma equipe afinada no núcleo Rio de Contas, estamos construindo relações e ações para iniciar atividades de longo prazo. Na região metropolitana de Salvador, estamos com o núcleo Salvador que mantém as atividades institucionais, de comunicação, administrativas e burocráticas de uma ONG ativa, mas também estamos revendo, revisitando nossas possibilidade para esta região urbana e com problemas gritantes. 

Logo todos os núcleos estarão reunidos em Rio de Contas para uma reunião, nela nosso planejamento para o Triênio deve se configurar mais sólido e daí daremos outros passos, mas isso é outra história e deixarei para outra postagem.

Em breve trarei mais novidades e diálogos com vocês todos, espero contar com seus comentários e com a visita ao Site do IPB. Sempre é bom recebê-los e poder compartilhar informações e experiências.

Inté!



sexta-feira, 18 de maio de 2012

Visita Técnica em Matriz Energética Limpa

Roberval Sousa dos Santos
O Instituto de Permacultura da Bahia (IPB) participou da visita técnica à unidade de beneficiamento de frutos do Projeto Aroeira, em Piaçabulu/AL, nos dias 16 a 18 de maio de 2012. 

O objetivo da visita foi apresentar e discutir a viabilidade e limitações de alteração da matriz energética para beneficiamento de produtos da agroecologia familiar, em pequena e média escalas, bem como disseminar conhecimentos no tema, aproximar parceiros e formular propostas para auxiliar o Ministério da Integração Nacional (MI) na execução de sua política, principalmente nas ações do Programa Conviver. 

Para representar o IPB compareceu o educando Roberval Sousa dos Santos, aluno do Projeto Escola Umbuzeiro - Escola Sustentável do Semiárido.

terça-feira, 15 de maio de 2012

Curso de Agrofloresta

Com Ernest Gotsh, Tiago TC e Convidados
Telefone: 73 99261731
Tipo de evento: curso
Organizado por: Piracanga Ecovila


quarta-feira, 9 de maio de 2012

Curso de Coberturas Verdes em Edificações


Histórico: Deficiências e crises das cidades comtemporâneas;

Benefícios desse sistema: nível urbanístico e local para a edificação; Categorias de Coberturas Verdes; Tecnologias, componentes existentes e processos de Implantação; Planejamento de Implantação;Alternativas construtivas: tipos de substratos, vegetação e uso das coberturas; Detalhes técnicos em Drenagem e Irrigação

Atividade Prática: Montagem da Cobertura Verde na Sede da Opa, na Vila do Diogo.

Facilitador: Felipe Pinheiro
Dias 26 e 27 / 05 / 2012


Local : Centro de Vivências Opa
Vila do Diogo - Mata de São João - Bahia


Investimento: R$270,00 profissionais e R$180,00 estudantes ( até o dia 12 de maio. Depois: R$320,00 profissionais e R$220,00 estudantes.
 

Inclui: espaço para acampamento, café da manhã e sopa na noite do primeiro dia.

telefones: (71) 324-6204; (71) 91464349
e-mail: info@opabrasil.org



Escola Umbuzeiro realizou o V Encontro Geral

Esse encontro tratou do tema Metodologias Participativas para o Desenvolvimento Local, discutindo questões relativas ao desafio do educador popular de construir relações dialógicas com os comunitários envolvidos no processo de desenvolvimento de comunidades, buscando a construção de um processo libertário e autônomo.

Para moderar essa discussão a Umbuzeiro contou com o apoio de Andréa Alice, engenheira agrônoma pela UFRRJ e mestre em extensão rural pela UFV. Dedicou sua vida profissional ao trabalho em ONGs do campo agroecológico, tendo trabalhado diretamente junto a Comunidades Eclesiais de Base (CEBs), Sindicatos de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais - STTRs e Associações Comunitárias. Atualmente é professora do Departamento de Educação da UFRPE, onde leciona nos cursos de Licenciatura em Ciências Agrícolas e Pedagogia (Educação do Campo).

foto